Varizes Pélvicas

A dor pélvica crônica é um problema muito comum entre as mulheres, responsável por 10 a 15 %  dos encaminhamentos para ginecologistas e clínicas de dor (fonte: Stanford Health). Uma das causa de dor pélvica crônica é uma condição conhecida como síndrome de congestão pélvica. Ainda hoje, a relação da presença de varizes pélvicas com a dor pélvica crônica segue controversa entre os médicos.

Sintomas

Muitas vezes, os sintomas não aparecem até a gestação, e então eles continuam após a gravidez. O principal sintoma é a dor pélvica. A dor normalmente piora ao longo do dia, especialmente para as mulheres que permanecem sentadas ou em pé o dia inteiro, e depois melhora após uma noite de sono.
A dor também pode piorar:

  • Durante ou após a relação sexual
  • No período menstrual
  • Depois de determinadas atividades físicas, como andar de bicicleta ou a cavalo.
Causas da síndrome de congestão pélvica

A síndrome de congestão pélvica ocorre quando veias varicosas se desenvolvem em torno dos ovários, semelhantes às veias varicosas das pernas. Então as válvulas das veias não funcionam normalmente e isso provoca estase venosa (“acúmulo”). Assim as veias dilatam e ficam congestas, o que pode ser muito doloroso.

Tratamento
  • medicamentos hormonais
  • Embolização, um procedimento minimamente invasivo cateter para “tapar” a veia varicosa
Diagnóstico

Embora as varizes pélvicas possam causar dor, em muitas mulheres elas podem ser um achado incidental em exames de imagem, especialmente naquelas que já tiveram filhos, sem que haja qualquer sintoma. O diagnóstico de síndrome de congestão pélvica só é atribuído àquelas que têm dor.
Os exames pélvicos ginecológicos de rotina geralmente são normais. Laparoscopia, histeroscopia, e outros testes e investigações cirúrgicas também podem não mostrar nenhum veias dilatadas ou ingurgitadas.  Exames como a ecografia, tomografia e ressonância magnética mostram as veias dilatadas.

Tratamento

Existem várias opções de tratamento para síndrome de congestão pélvica.

– medicamentos hormonais, prescritos pelo seu ginecologista, podem reduzir o fluxo de sangue e congestão das veias varicosas.

Se estes são ineficazes, em seguida, terapias minimamente invasivas podem ser consideradas, tais como:

  • embolização por cateterismo das veias varicosas. Este é um procedimento ambulatorial, no qual um pequeno cateter é inserido na circulação pela virilha ou braço, e direcionado até as varizes pélvicas com auxílio de raio-X. Não há incisões ou pontos e é praticamente indolor mesmo durante o procedimento.
  • As varizes são permanentemente obstruídas através do uso de molas, colas, espuma, e outros materiais. O retorno ao trabalho e atividades leves ocorre já no dia seguinte, e atividades completas em uma semana.